assedio.png

Por Ana Carolina de Resende

Amigos, desta vez a Natalie Portman, durante a Marcha das Mulheres, no último fim de semana foi quem falou contra os assédios em Hollywood. Infelizmente os assédios não estão apenas em determinados espaços ou em determinadas profissões ou tipo de pessoas, por esta razão acredito ser um tema a ser abordado diuturnamente em nossos lares. Devemos dar valor à infância e proteger nossos filhos. Proteger não em gaiolas, mas munir de informações. Estarmos sempre atentos a qualquer sinal de desconforto vindo deles. E sempre dialogar. Acredito que o tema tem que ser levado com muito zelo, como algo que realmente acontece, mas que pode deixar de acontecer. A questão é ter ciência para tomar providência. A intenção é não colocar vendas nos olhos, mas óculos para melhor avistar a situação. Todos por uma infância ainda mais feliz!!!

 

Acessem: https://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2018/01/22/aos-13-portman-recebeu-carta-com-fantasia-de-estupro-terrorismo-sexual.htm

Vício em tecnologia

vicio smartphone

Por Ana Carolina de Resende

Sendo eu mãe de um bebê de 01 ano existem algumas coisas que me intrigam como o fato do uso exagerado dos celulares pela maioria das crianças.

Surgem também, diversas dúvidas acerca do uso, sabemos do perigo, mas há tempo parece ser inevitável estarmos todo momento com eletrônicos nas mãos. Tendo esta atitude logicamente nossas crianças crescerão aceitando essa rotina como normal. Isso tudo o que eu disse não é novidade, porém vou deixar aqui registrado alguns dados interessantes para eu e vocês.

A Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria atestam que bebês na idade entre 0 a 2 anos não devem ter qualquer exposição à tecnologia, crianças de 3-5 anos devem ter acesso restrito a uma hora por dia e crianças de 6-18 anos devem ter acesso restrito a 2 horas por dia (Fonte: AAP 2001/13 , o CPS 2010).

Acontece que hoje as crianças e jovens usam a tecnologia em quantidade de 4 a 5 vezes maior do que esta recomendada, o que está resultando em consequências graves e ameaças vitais. (Fonte: Kaiser Foundation 2010, Active Healthy Kids Canada 2012).

A seguir estão 10 razões baseadas em pesquisa para essa proibição”.

1 . Crescimento rápido do cérebro           

Entre 0 e 2 anos, o cérebro da criança triplica de tamanho e continua em estado de rápido desenvolvimento até os 21 anos de idade (Fonte: Christakis de 2011). O desenvolvimento inicial do cérebro é determinado por estímulos ambientais ou pela falta dele. O estímulo a um desenvolvimento cerebral causado por exposição excessiva a tecnologias (celulares, internet, iPads, TV) foi mostrado afetar negativamente o funcionamento e causar déficit de atenção, atrasos cognitivos, aprendizagem deficiente, aumento da impulsividade e diminuição da capacidade de auto-regular, exemplo: birras (Fonte: Small 2008, Pagini 2010) .

2 . Atraso no desenvolvimento

O uso da tecnologia restringe o movimento, o que pode resultar em atraso de desenvolvimento. Uma em cada três crianças agora entram na escola com atraso de desenvolvimento, impactando negativamente a alfabetização e o desempenho acadêmico (Help EDI Maps 2013). O movimento aumenta a atenção e a capacidade de aprendizagem (Fonte: Ratey 2008). Com isso, o uso de tecnologia por crianças com idade inferior a 12 anos é prejudicial ao desenvolvimento da criança e da aprendizagem (Fonte: Rowan 2010).

3 . Epidemia de obesidade           

O uso de TV e vídeo game está correlacionado com o aumento da obesidade (Fonte: Tremblay, 2005). As crianças que possuem dispositivos eletrônicos em seus quartos têm 30% de aumento na incidência de obesidade (Fonte: Feng 2011). Um em cada quatro canadenses e uma em cada três crianças americanas são obesas (Fonte: Tremblay 2011). 30% das crianças com obesidade irão desenvolver diabetes e os indivíduos obesos têm maior risco de acidente vascular cerebral e ataque cardíaco precoce, encurtando gravemente a expectativa de vida (Fonte: Center for Disease Control and Prevention 2010). Em grande parte devido à obesidade, crianças do século 21 podem ser a primeira geração onde muitos não vão viver mais que seus pais (Fonte: Professor Andrew Prentice, BBC News, 2002).

4 . Privação do sono           

60% dos pais não supervisionam o uso de tecnologia de seus filhos e 75% das crianças estão autorizadas a ter tecnologia em seus quartos (Kaiser Fundation 2010). 75% das crianças com idade entre 9 e 10 anos são privados de sono e como consequência, suas notas na escola são negativamente impactadas (Boston College 2012).

5 . Doença Mental           

O uso excessivo de tecnologia está implicado como a principal causa das taxas crescentes de depressão infantil, ansiedade, transtorno de apego, déficit de atenção, autismo, transtorno bipolar, psicose e comportamento infantil problemático (Bristol University 2010, Mentzoni 2011, Shin 2011, Liberatore 2011, Robinson 2008). Uma em cada seis crianças canadenses têm uma doença mental diagnosticada, muitas das quais estão em uso de medicação psicotrópica perigosa (Waddell 2007).

6 . Agressão

Conteúdo de mídia violento pode causar agressividade infantil (Anderson, 2007). As crianças estão cada vez mais expostas à crescente incidência de violência física e sexual na mídia de hoje. “Grand Theft Auto V” retrata sexo explícito, assassinato, estupro, tortura e mutilação, como fazem muitos filmes e programas de TV. Os EUA classificou a violência na mídia como um risco à saúde pública devido ao impacto causal sobre a agressão infantil (Huesmann 2007). A imprensa registra aumento do uso de quartos de isolamento com crianças que apresentam agressividade descontrolada.

7 . Demência digital

Conteúdo de mídia de alta velocidade pode contribuir para o déficit de atenção, bem como a diminuição da concentração e da memória, devido ao cérebro eliminar trilhas neuronais no córtex frontal (Christakis 2004 Pequeno 2008). Crianças que não conseguem prestar atenção não podem aprender.

8 . Vícios           

Como os pais ficam cada vez mais presos à tecnologia, eles estão se desapegando de seus filhos. Na ausência de apego dos pais, as crianças separadas podem se conectar a dispositivos, o que pode resultar em dependência (Rowan 2010). Uma em cada 11 crianças com idades entre 8-18 anos são viciadas em tecnologia (Gentile 2009) .

9 . Emissão de radiação

Em maio de 2011, a Organização Mundial de Saúde classificou os telefones celulares (e outros dispositivos sem fio) como um risco categoria 2B (possível cancerígeno), devido à emissão de radiação (WHO 2011). James McNamee com a Health Canada, em outubro de 2011, emitiu um aviso de advertência dizendo: “As crianças são mais sensíveis do que os adultos a uma variedade de agentes – como seus cérebros e sistemas imunológicos ainda estão em desenvolvimento – então você não pode dizer que o risco seria igual para um jovem adulto quanto é para uma criança”. (Globe and Mail de 2011). Em dezembro de 2013 o Dr. Anthony Miller, da Universidade da Escola de Saúde Pública de Toronto recomendou que, com base em novas pesquisas, a exposição à radiofrequência deve ser reclassificado como 2A (provável cancerígeno) e não um 2B (possível cancerígeno) . A Academia Americana de Pediatria pediu revisão das emissões de radiação electromagnéticas dos dispositivos de tecnologia citando três razões quanto ao impacto sobre as crianças (AAP 2013 ) .

10 . Insustentável           

As maneiras pelas quais as crianças são criadas e educadas com a tecnologia já não são sustentáveis ​​(Rowan 2010). As crianças são o nosso futuro, mas não há futuro para as crianças com overdose de tecnologia. Cuidar disso é urgente, necessário e precisamos fazer em conjunto, a fim de reduzir o uso de tecnologia por crianças. Por favor, assista e compartilhe os vídeos sobre o uso excessivo de tecnologia por crianças. Em http://www.zonein.ca”

Fonte: Vida de Mãe Dani

Abaixo trago lista dos sinais indicativos do vício tecnológico feita pelo Editor de Guiainfantil.com Pablo Medina:

1 – Quando a criança ou adolescente tem mania de mostrar tudo o que está vivenciando nas redes sociais. Um alerta para os pais para protegerem seus filhos de pedófilos e de pessoas más intencionadas na internet. Os pais devem ensinar seus filhos a navegarem na rede e a comprar filtros parentais.

2 – Quando as relações pessoais, familiares e com amigos começam a ser prejudicadas pelo excessivo uso das tecnologias. Manter boas amizades é importante para o bom desenvolvimento da criança. Os pais devem incentivar as brincadeiras ao ar livre.

3 – Quando a criança começa a mentir – até mesmo fingir que dormiu – para continuar a acessar redes sociais é sinal de vício. De acordo com estudos recentes, os pais devem exigir que as crianças desliguem os aparelhos pelo menos com uma hora antes de dormir ou os deixem com eles. O sono da criança pode ser prejudicado.

4 – Quando a criança não consegue assistir a um filme ou conversar com amigos sem estar constantemente checando as redes sociais compulsivamente é um sinal de que o seu filho pode estar viciado nisso.

5 – Quando a criança prefere ficar em casa jogando videogame ou acessando a internet ao invés de participar de brincadeiras com outras crianças ou ir a um evento social.

6 – Quando o rendimento escolar começa a piorar porque a criança tem passado muito tempo nas redes sociais ou assistindo vídeos e músicas ao invés de se dedicar aos estudos.

7 – Quando a criança se irrita demais quando a internet cai, a bateria do seu celular acaba ou o sinal não é bom.

8 – Quando atividades essenciais como o banho, a comida ou até mesmo dormir começam a ser prejudicadas pelo uso do computador é um grande sinal de vício.

9 – Quando a mãe ou o pai tiram o aparelho do filho ele se irrita muito e até mesmo se descontrola.

Os pais, nessa nova geração, devem estar atentos a esses sinais e desde cedo estipular horários e tempo para a utilização de smartphones, tablets, videogames, televisão e o computador. A utilização de filtros parentais também é necessária, além dos pais ensinarem aos filhos a navegarem na internet e constantemente mostrarem os perigos que isso pode trazer a eles.

Bom dia amigos. Espero ter ajudado. O nosso objetivo aqui é incentivar o diálogo e leituras acerca da maternidade, infância, família, filhos em geral.

Por mais fraldários

Por Ana Carolina de Resende

fraldário.jpg

Ontem saímos para almoçar e através de uma experiência um tanto trabalhosa passei a dar um mega valor aos fraldários em ambientes públicos. Estávamos almoçando e Beatriz fez um super cocô mole, fui diretamente com ela ao banheiro e chegando lá não havia local para eu colocar a mochila ou a criança, e eu ali pensando o que fazer primeiro. Hoje experimentei a dificuldade no trocar fraldas com a criança em pé ou mesmo no colo. Foi tenso! Rs antes de ter filho cheguei a olhar para aqueles espaços família em shopping e achar um excesso hoje eu percebi que na verdade é mágico e muito útil nós na verdade há 1 ano com Beatriz utilizamos por diversas vezes esses espaços. Portanto, esta aqui o meu apelo aos donos de estabelecimentos que recebem pais e filhos para que atentem para esses locais tão importantes para nós e realmente necessários. Observei há Leis para instituição de fraldários nos shoppings lutemos para que a exigência vá até aos restaurantes.

O que realmente importa

menina bolha

“O importante não são seus sapatos, nem seus cabelos, nem a cor da sua pele, nem onde você mora. Na vida nada disso é importante.
O importante na vida é quem você ama, e quem ama você.
É como você se sente em relação a você mesmo. É confiança,
É ficar do lado de amigos e substituir o ódio pelo amor. O importante na vida é evitar a inveja, não querer o mal dos outros, superar a ignorância e construir a confiança. É o que você diz e o significado de suas palavras. É gostar das pessoas pelo que elas são e não pelo que elas têm.
Acima de tudo, é escolher usar a sua vida para tocar a vida de outra pessoa de um jeito que a fará mais feliz. O importante na vida são as escolhas!
Então escolha ser feliz!”

Autor Desconhecido

 

Birras

birra
Amigos dialogues, bom dia!!!
Em algum momento, vocês pararam para pensar que a birra faz parte do desenvolvimento natural de nossos filhos? Sério! Chocados estamos todos não é mesmo? Kkkk. Lendo a respeito observei ser algo inevitável. E tem ainda a idade específica dessas birras onde aparentemente às crianças estão testando os limites dos pais e aprendendo a lidar com as frustrações. No dia a dia deparamos com nossos filhos e de mais crianças ao nosso redor se jogando no chão, gritando, chorando… Outro ponto equivale à posição dos pais ou criadores a esse respeito e também a personalidade de cada criança. Dá para evitar, sim. Mas, não é fácil então amigos nada de julgamentos. Separei um texto da revista crescer com a opinião de uma especialista que pode nos ajudar. Beijão e o melhor: boa leitura.
Não esqueçam de dialogar…

Estreio

Por Ana Carolina de Resende
Ano Novo é assim que denominamos. Ganha-se folhas em branco para adicionar novos capítulos a própria historia. Veja como pode ser divertido. Coordenando os pensamentos pode-se esforçar e colocar em prática as vontades do coração. Importante externar o que está apenas no mundo das ideias tentar fazer acontecer executar os planos. Novos tempos, novos dias. Vamos aproveitar esse novo início para colocar em prática aquele velho desejo que deixamos encostado no armário da vida. Cada dia uma nova chance de buscar alegrias e acaso tenham muitas que tal acrescentar?!Creio que ao passo que o ser torna-se o protagonista da sua história não quer fazer feio. Não para os outros, mas para ele mesmo que sempre terá que acessá-la no filme da vida. E como um bom diretor vá em busca de atores e belos cenários, tratamentos e orçamentos. Importante não parar e acaso pare respire e continue. Deus abençoe o início de cada um de vocês. Esta é Beatriz que desde a sua existência tem nos proporcionado belos inícios…
IMG-20180112-WA0004